quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Tim Tebow e o passe milagroso

Quem é fanático por desporto está mais que habituado a ver milagres em campo. Passes, milagrosos que dão golos milagrosos que dão vitórias milagrosas nos últimos segundos…

Os adeptos do futebol americano sentem exactamente o mesmo, mas as estatísticas do jogador Tim Tebow, que na Segunda-feira ajudou a sua equipa a derrotar um adversário apontado como favorito, estão a ser interpretadas como um milagre de outra natureza.

Comecemos pelo princípio. Tebow é, para além da estrela dos Denver Broncos, um cristão evangélico extremamente devoto. Antes de depois de cada jogo ajoelha-se em campo, numa posição que já é conhecida como “Tebowing”.

O jogador fala frequentemente da sua fé e recorre ao hábito de inscrever versículos da Bíblia na maquilhagem preta que muitos jogadores usam debaixo dos olhos.

Uma das passagens favoritas tanto de Tebow como de muitas outras figuras cristãs ligadas ao desporto é João 3:16, pela forma como sintetiza toda a fé cristã: “Tanto amou Deus o mundo, que lhe entregou o seu Filho Unigénito, a fim de que todo o que nele crê não se perca, mas tenha a vida eterna.” (Bíblia dos Capuchinhos)

O principal papel de Tebow, enquanto “Quarter-back”, é lançar a bola para os avançados, na esperança que se isolem e consigam marcar ensaio. No final do jogo as estatísticas dos quarter-backs apresentam a distância total de passes completados, em jardas.

Qual a estatística de Tebow para a vitória improvável dos Broncos? 316 jardas.

Realce-se, para quem não percebe nada de futebol americano, que 316 é um valor astronómico e que Tebow nunca tinha lançado mais de 300 jardas pelos Broncos.

A coincidência (?) não passou despercebida e na América não se fala de outra coisa. A vitória dos Broncos teve mão de Deus? Para os seus adeptos, quais argentinos em 1986, teve mão de Tebow, o que começa a ser mais ou menos a mesma coisa.

Tim "Tebowing"

 Origem do Jo 3:16
Quem via as transmissões dos jogos da NBA na RTP2 nos anos 90 lembrar-se-á de uma figura que parecia estar em todo o lado, sempre a aparecer nas imagens e com um cartaz que tinha inscrito Jo 3:16. O seu nome era Rollan Stewart. No início era só um excêntrico sedento de atenção mediática, mas depois conheceu Cristo e dedicou-lhe toda a sua vida, transformando o seu hobby numa forma de evangelização.

E onde é que está Rollan Stewart agora? Numa prisão da Califórnia a servir uma de três penas de prisão perpétua… e ainda dizem que o jornalismo religioso não fascinante!


1 comentário:

Partilhar